Terça-feira, 18 de Dezembro de 2012

Tenho andado para escrever sobre este assunto http://www.tvi24.iol.pt/videos/video/13760598/1  mas o relógio não pára e ia ficando adiado...hoje é o dia de falar sobre o assunto.

 

Alguns de vós sabem que trabalho num Lar e também sabem que é um trabalho de que gosto.

 

Ora vamos ao tema que realmente interessa. Não posso dizer que não fiquei chocada quando vi a reportagem e claro que condeno quaisquer maus tractos mas vou-me focar-me em alguns pontos que considero importantes. A família, o cumprimento das leis e a ilegalidade.

 

Para mim e neste caso, ou casos como estes não me interessa se são ilegais ou não, desde que tratem os utentes com dignidade e respeito (claro que a fuga aos impostos faz com que sobre para quem cumpre, mas...). Acredito e conheço através de algumas pessoas (ex. trabalhadoras e trabalhadoras) haver Lares ilegais que tratam melhor os idosos do que alguns legais.

 

Acredito que o facto de haver tantas exigências para a abertura de Lares faça com que cada vez haja mais ilegais e claro com alguns preços que praticam nalguns Lares particulares legais levam as famílias a procurarem os ilegais.

 

Do conhecimento que tenho e que fique claro que não me refiro ao que estou a trabalhar que felizmente é uma misericórdia, é muito diferente pagar 600 € num ilegal ou pagar 900 ou mil e tal. Aliás fará, certamente toda a diferença para o orçamento familiar.

 

Não estou a dizer que apoio os lares ilegais e a colocação dos idosos neles, apenas que compreendo que façam essas opções.

 

Agora em relação ao cumprimento da lei. É normal haver uma ordem de fecho e ninguém ir averiguar se essa ordem foi cumprida?

 

É normal passar 6 meses até fazer cumprir a ordem?

 

Ah, e se não fosse a reportagem o Lar continuaria aberto e os maus tractos continuariam.

 

Portanto nesta parte alguém deveria ser responsabilizado.

 

Quanto às famílias...bem...terei de ser dura.

 

Creio que a primeira coisa quando se escolhe um Lar e antes de colocar o utente, a família tem a obrigação de saber informações. Através de vizinhos do lar, familiares de outros utentes, etc. Claro, que aqui poderá haver informações incorrectas, informações maldosas, mas se elas forem semelhantes são capazes de serem acertadas.

 

Depois da entrada a família tem a obrigação de ela própria avaliar. Não é difícil ver alguns sinais, claro que estou a falar de pessoas minimamente lúcidas. Os familiares devem ouvir os seus idosos e retirar conclusões, ainda muitas vezes não falem verdade.

 

Esta semana aconteceu-me algo que me deixou triste. Uma das utentes disse a uma familiar que não lhe ligávamos nenhuma, que a tinham levantado sem fralda e que estava sempre sozinha. Ora isto não corresponde à verdade e é duro de ouvir, mas ainda assim o familiar tem o dever de se certificar que isto não é verdade.

 

Todos os Lares têm horário para as visitas, mas não creio que se a pessoa aparecer de surpresa e com alguma justificação (ainda que possa ser inventada) não a deixem entrar.

 

Em relação à reportagem e no meu ver os familiares deviam de ser também responsabilizados (Como não vi toda a reportagem deverei dizer "alguns").

 

Como é que é possível umas das entrevistadas e familiar dizer que já sabia de algumas coisas e que uma das funcionarias que se tinha despedido lhe tinha telefonado a dar-lhe conhecimento do que se passava. E o mais grave...dois meses antes.

 

Então deixou passar dois meses sem fazer nada?

 

Sem saber a verdade?

 

É por estas situações que dizem que os Lares são depósitos de velhos. Infelizmente tenho que concordar que alguns são e alguns são devido aos familiares não querem saber dos seus idosos.

 

No Lar onde trabalho há utentes que nunca os vi com visitas e outros que as famílias exageram na maneira como querem que os tratem. Não é por pagarem que podem exigir tudo...muitas vezes coisas impossíveis, coisas quem em casa com toda certeza não faziam.

 

Ainda sobre a reportagem...as funcionárias...onde fica a responsabilidade delas?

 

Não sei o que dizer...como se consegue viver com o peso da consciência de tratar mal os idosos, ou seja quem for?

 

Felizmente tenho a sorte de trabalhar num Lar que olha por eles e lhe tenta dar conforto, respeito, carinho e dignidade. Se assim não fosse eu seria uma pessoa muito infeliz.

 

 

 



publicado por momentosdisparatados às 00:08 | link do post | favorito

De Fátima Soares a 20 de Dezembro de 2012 às 08:37
Minha amiga. Venho com amizade e carinho desejar e a todos que ama um Feliz Natal com muita saúde, paz, amor e tudo de bom. Um beijinho e boas Festas


De momentosdisparatados a 30 de Dezembro de 2012 às 18:24
Muito obrigado. Desculpe a demorar a responder.
Feliz 2013, que seja um ano com tudo de bom.
Beijinho


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
Abril 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


posts recentes

México - Férias

Depois de quase 2 anos aq...

Férias

Onde estavas com a cabeça...

IRS

Top Páginas - Ontem (11/0...

IRS e os erros

Os nossos governantes têm...

IRS

Vontade de esganar a ciga...

arquivos

Abril 2016

Março 2016

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

tags

2011

2013

a19

abandono

aftas

água

ait

amor

aniversario

aniversário de casamento

aniversario do estaminé

aniversario mãe

anivesário

anivesario

anulação do cartão

arrábida

arrabida

arrendar

artrite reumatóide

aspirina

assalto

assedio

aveiro

avô metralha

banco

batalha

bebés

bijutarias

bipolar

blog

bolinhos

bolo

bookcrossing

bruxo

cabelo

camioneta

campanha

cardiologista

carro

carta

cartão alimentação.

cartão decredito

cartões de credito

casa

cavalete

centro saude

chanel

cheque

cidade

cidade do porto

cigana

cintigrafia

clube da amizade

consulta

deco

destino

divorcios

edp

elaine st. james

electricidade

endoscopia

engano

escapadinhas

exames medicos

ferias

férias

filha

filho

gato

gatos

governo

hospital

idosos

impostos

inspira-me

irs

livros

medicação

medico

medo

milka

mudança

multa

natal

ovelhas

pai

pais

passeio

porto

poupar

republica dominicana

saúde

sinal

sintra

tiróide

trabalho

tunísia

velhotes

vida

vizinhos

todas as tags

favoritos

Vamos, então, por partes

Leilão de eletricidade

Lilica - Cadela solidária

Como fazer novas amizades...

blogs SAPO
subscrever feeds