Terça-feira, 04.03.14

Para quem aqui passar não se envergonhe e sirva-se de uma fatia de bolo.

Cá em casa comemora-se o aniversario aqui da menina

 



publicado por momentosdisparatados às 18:24 | link do post | comentar | ver comentários (23) | favorito

Sexta-feira, 28.02.14

 

Dá-me prazer passar por aqui http://existeumolhar.blogs.sapo.pt/ e ficar a olhar a beleza das fotos da Manu.

Vale a pena visitar.

 

 

 



publicado por momentosdisparatados às 14:51 | link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Quinta-feira, 27.02.14

Não quero brincar nem ofender quem sofre da doença bipolar, mas parece-me que ando a sofrer deste mal ou algo parecido. Pelo menos não consigo encontrar algo tão semelhante. Ando com um humor inconstante, ora estou bem hora estou mal, ando com um animo abaixo do normal, com dificuldade em tomar decisões e quando as tomos não é raro vir a arrepender-me.

Eu não era assim e pergunto-me se será da idade? Os 46 aproximam-se a passos largos...

Se as minhas atitudes são inconstantes, os meus pensamentos amontoam-se e atropelam-se dentro da minha cabeça.

Alguns dos exemplos passam pela mudança de penteado, pela mudança de casa, pela vontade de sair, pela falta de motivação do meu trabalho que eu tanto gostava e até da minha maneira de vestir (o que me deixa muito preocupada).

O meu cabelo é liso e há muitos anos que passei a tê-lo curto, sem dispensar o gel para poder dar um ar despenteado e moderno. Gostava do que via no espelho, mas como gosto de mudanças ansiava para deixar o cabelo crescer e fazer uma ondulação para lhe dar volume. Depois de varias tentativas de o deixar crescer, lá ia ao cabeleireiro e pedia-lhe um corte. Não sei como, acabei por deixa-lo crescer sem quase dar por ela e com um tamanho razoável para fazer a tal ondulação. Ainda estava na fase do faço não faço quando uma amiga minha me perguntou se não a queria fazer dai a dois dias. Iria servir de "cobaia" na escola de cabeleireiro onde ela andava. Confesso que estava com algum receio em colocar a minha cabeça nas mãos de quem estava a aprender. Resolvi arriscar. Se a coisa corresse mal voltava ao corte anterior.

Chegou o dia e lá fui eu...nervosa e ansiosa. Expliquei que não queria carapinha, apenas algo que me desse volume e de preferência com aspeto natural.

Sai de lá a achar-me linda e maravilhosa. E naquele dia o cúmulo da felicidade seria poder ficar em casa em frente ao espelho e a mexer naquele cabelo lindo e fofo.

Tinha de ir trabalhar e já sabia que ia ter varias reações, umas que iam gostar outras que iriam detestar, umas que dariam a opinião sem lha pedir e outras que iriam "morder" pelas costas. Nada me estragaria aquela sensação de beleza, mas pelo sim pelo não disse logo quando entrei "Adoro o meu cabelo", portanto dissessem o que dissessem sabiam a minha opinião.

Os dias foram passando e cerca de 1 mês depois aqui estou eu a pensar que deveria ter ficado com o meu cabelo liso.

Se eu disser isto ao maridão ainda me manda internar, pois andou meses a ouvir-me falar em fazer caracóis!

Quanto à mudança de casa, à mudança na maneira de vestir e à falta de motivação no trabalho ficará para um outro post.

 



publicado por momentosdisparatados às 08:55 | link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito

Sábado, 22.02.14

Este foi o belo horrível resultado em que ficou o que poderia ter sido um magnifico bolo pudim!

 

 



publicado por momentosdisparatados às 08:33 | link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito

Sexta-feira, 21.02.14

Os que aqui passam sabem que tenho dois gatos que adoro, o que não devem saber é que um deles faz "gato e sapato de mim", ou melhor dá-me a "volta" com uma pinta do caraças.

Ontem, eram cerca da 20 horas quando o gato Snoo se colocou em frente à sua taça de comida e pôs-se a olhar ora para mim ora para a taça. O olhar tristonho e aquela cabeçita a andar de um lado para o outro deixa-me de coração apertadinho. Ora lá fui eu ao armário onde está a comida dele e vejo que não havia nenhuma lata. Convêm dizer que o "menino gosta de ter duas taças recheadas, uma com a comida de lata e outra de comida seca. Aos olhos de muitos alguns serei considerada doida ao dizer que falo com ele como falo com pessoas. Ora o diálogo que travamos foi o seguinte:

-Oh filho a mãe não tem comida, mas amanhã compro.

-Miau, miau.

Os miados dele eram daqueles capazes de derreter qualquer coração.

-Não tenho, já disse que não tenho.

-Miau, miau, miau.

Os miados estavam cada vez mais altos e agora a deixar-me doida.

Conhecendo o meu gato como eu o conheço sabia que ele iria continuar a miar até conseguir o objectivo. E conseguiu!

-Ok, a mãe vai vestir-se e vai comprar.

Peguei no carro e fui compar a comida preferida do menino.

A recompensa foi-me dada à chegada quando viu as latas através de rorons, miados mimalhos e olhares ternurentos.

Vá chamem-me maluca.

 

 


tags: ,

publicado por momentosdisparatados às 21:49 | link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito

Domingo, 12.01.14

No último post em que contei a nossa viagem ao Porto fiquei em falar sobre um episódio que irá ficar para sempre na nossa memoria.

Pois bem, queríamos muito encontrar um restaurante romântico para comemorar os nossos 10 anos de casados. Sabíamos que não ia ser fácil, pois a pesquisa que normalmente costumavamos fazer no Tripadvisor não tinha sido feita. Saímos do hotel e fomos procurando. Excluímos alguns por não terem o aspecto que queríamos e outros porque os preços eram astronómicos. Sem grande saída acabamos por entrar num ao acaso. Estávamos com fome, portanto era mesmo aquele, o restaurante "A Regaleira" http://www.tripadvisor.com.br/Restaurant_Review-g189180-d2463262-Reviews-Restaurante_A_Regaleira-Porto_Porto_District_Northern_Portugal.html

Depois de sentados o empregado traz-nos um pratinho com umas pataniscas bem deliciosas, por sinal e a ementa. Escolhemos arroz de marisco e quando transmitimos ao empregado diz-nos "não, não peçam isso que aqui não é bom".

Acreditem que achamos que o homem estava a brincar, pois não era normal ver um empregado a dizer mal da comida. Quer dizer, pelo menos nunca nos tinha acontecido. Na dúvida e enquanto o homem não vinha acabamos por decidir outra coisa. Isto para o caso dele continuar a tirar-nos a ideia. Quando chegou pergunto-lhe se estava a brincar em relação ao arroz de marisco.

Pois, não estava e quando lhe dissemos qual era a nossa outra escolha atirou-nos um "boa escolha. Se escolhessem o arroz iriam ficar desiludidos".

Confesso que ficamos um pouco apreensivos e ainda ponderamos irmos embora, mas a fome era muita e acabamos por ficar.

Ah, a escolha foram panados de bacalhau e filetes de polvo acompanhado com arroz de feijão.

Quando a comida chegou à mesa foi uma desilusão. Refiro-me especialmente à quantidade. Aqui na nossa zona e pelos sítios por onde andamos as doses são bem maiores.  Visualmente estávamos desiludidos, mas faltava provar.

O arroz era delicioso, sim tenho de o referir. Quanto ao resto... os tais filetes de polvo não estavam maus mas, não estavam divinais. O meu bacalhau...como posso dizer sem ser demasiado mal dizente? E aqui tenho de referir que detesto dizer mal e normalmente tento arranjar uma desculpa para quando me apresentam um prato que não esteja do meu agrado. Também cozinho em casa e nem sempre a coisa corre bem, mas neste caso não conseguia arranjar uma desculpa para o sucedido.

Olhando para travessa vinha apenas com 3 douradinhos. Sim, apenas 3 "douradinhos" de bacalhau. Tento espetar o primeiro e o garfo não espeta. Mesmo sem saber o porquê desisti daquele e passei para o outro. A fome era muita e como era tão pequeno rapidamente o comi e passei ao segundo. Não havendo mais acabei por voltar ao primeiro que não tinha conseguido espetar. Estava explicado...era apenas uma espinha panada.

Ficamos indignado, como era possível apresentarem uma espinha panada sem bacalhau?

O maridão chamou o empregado e perguntou se aquilo era algo que se apresentasse. Pediu desculpa e pediu para esperamos um pouco.

Apesar da desilusão, olhávamos um para o outro e riamos, pois achávamos aquilo surreal. Primeiro o fulano diz mal do prato inicialmente escolhido, depois apresentam-nos doses como se fossem entradas e além disso ainda me dão uma espinha para comer.

Passado uns minutos vem-nos trazer uma dose do tal arroz delicioso (valha-nos isso) e mais uma dose dos panados de bacalhau. Desta vez sem espinhas.

No final pagamos 27.20 Euros. Que não seria muito se as doses fossem maiores e se não tivesse sido presenteada pela espinha.

É um facto que não foi romântico, mas jamais nos iremos esquecer do jantar do 10 aniversario de casamento.

Aqui ficam as fotos para comprovar.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



publicado por momentosdisparatados às 23:17 | link do post | comentar | ver comentários (13) | favorito

Terça-feira, 07.01.14

A começar muito bem o ano....preciso de uma bruxa, mas daquelas muito boas!

Em dois dias foram 3 idas ao medico, muitas dores e vários medicamentos. Cada médico cada medicamento diferente, mas nada de preocupar já que são tão baratinhos. que até dá pena de pagar tão pouco...

 

 

Imagem retirada daqui http://www.canstockphoto.com.br/foto-imagens/doente.html#file_view.php?id=11042309

 

 



publicado por momentosdisparatados às 15:49 | link do post | comentar | ver comentários (14) | favorito

Sexta-feira, 27.12.13

Este post sobre a nossa ida ao Porto já estava "alinhavado", mas ainda não tinha tido tempo para o acabar.

Adoramos a nossa ida ao porto e acredito que tenhamos ido na melhor altura. As luzes de Natal deram ainda mais encanto e romantismo. Por falar em romantismo, acertamos em cheio a escolha daquela cidade para comemorar os 10 anos de casamento.

Normalmente as nossas viagem são bem planeadas e esse planeamento passa por saber as melhores estradas, pontos de referência para chegar ao destino, restaurantes aconselhados e pontos a visitar. Desta vez deixamos tudo ao acaso e embora não tenha sido fácil achar o hotel, acabou por ocasionar um episódio engraçado.

Depois de termos entrado no Porto sabíamos que tínhamos de encontrar a rua Ramalho Ortigão 14. Mapa da cidade na mão e depois de várias muitas voltas sabíamos que não estávamos longe. Já na Avenida dos Aliados paramos o carro fomos a uma loja, que por sinal era de indianos e perguntamos onde era a tal rua e o tal hotel. Por incrível que pareça não sabiam e digo incrível porque afinal era do outro lado da rua, mas isso só soubemos depois. Como ali não nos safávamos resolvemos telefonar para o hotel. Seguindo as indicações, o hotel ficava ao lado da Câmara Municipal e o hotel tinha uma placa em vermelho. Já ali, olhávamos, olhávamos e apenas víamos uma placa vermelha, mas com o nome de outro hotel.

 Mais um telefonema para a recepção do hotel e digo-lhe "estamos em frente à Câmara Municipal e vejo um edifício que diz Cartório". Do outro lado diz-me "Está no sítio certo, pois é mesmo nesse edifício". Confesso que senti alivio, pois já estava saturada da viagem e de procurar o dito cujo. Dirigimo-nos para o tal edifício e nada de vermos a placa a dizer Hotel Vera Cruz. "Raio" estávamos no edifício creme que dizia Cartório e nada...

Mais um telefonema a dizer "estamos no tal prédio creme a dizer cartório e apenas vejo o nome de um hotel que não é o vosso". 

" É só atravessarem a rua e verá o nosso hotel".

Ora a confusão foi gerada porque haviam dois prédios na mesma rua pintados da mesma cor, com uma placa igual a dizer cartório e ambos prédios tinham um hotel com uma placa vermelha.

Depois desta confusão e já estalados no quarto deu para apreciar a bela vista sobre a cidade.

Depois do belo almoço no Restaurante Embaixador http://www.tripadvisor.com.br/ShowUserReviews-g189180-d1872641-r187992234-Cafe_Embaixador-Porto_Porto_District_Northern_Portugal.html#REVIEWS fomos deliciar-nos nas belas ruas da cidade.

Ao jantar e porque queríamos comemorar o nosso aniversario de casamento procuramos um restaurante que ficasse na memoria. Realmente conseguimos, embora não pelas melhores razões.

Ficará para um outro post.

 

 

 

 

 

 

 

 

 



publicado por momentosdisparatados às 17:52 | link do post | comentar | ver comentários (13) | favorito (1)

Quinta-feira, 19.12.13

Seja como for e apesar de não sermos muitos cá em casa e de muitas vezes a minha profissão condicionar a comemoração não deixo de gostar desta data e de tirar partido dela.

Os momentos que antecedem a preparação da árvore por norma trazem momentos de sorrisos, onde os protagonistas por norma são os gatos, mas desta vez aqui a menina também foi uma das protagonistas de "gozo".

Segundo o maridão eu consegui transformar o pinheiro de Natal do ano anterior em pinheiro manso. Isto porque não encontro a ponta do pinheiro em lado nenhum. Acredito bem que tenha ido para o lixo. De qualquer forma parece-me que ficou bem catita.

As fotos comprovam.

 

 

 

A arvore de Natal, ou melhor o pinheiro manso de Natal

 

 

A vela que me acompanha há varios anos

 

 

O boneco de neve que o Snoo insiste em reclamar para ele

 

 

O anjo oferecido numa troca de prendas

 

 



publicado por momentosdisparatados às 10:25 | link do post | comentar | ver comentários (16) | favorito

Terça-feira, 10.12.13

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



publicado por momentosdisparatados às 09:22 | link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito


mais sobre mim
Abril 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


posts recentes

México - Férias

Depois de quase 2 anos aq...

Férias

Onde estavas com a cabeça...

IRS

Top Páginas - Ontem (11/0...

IRS e os erros

Os nossos governantes têm...

IRS

Vontade de esganar a ciga...

arquivos

Abril 2016

Março 2016

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

tags

2011

2013

a19

abandono

aftas

água

ait

amor

aniversario

aniversário de casamento

aniversario do estaminé

aniversario mãe

anivesário

anivesario

anulação do cartão

arrábida

arrabida

arrendar

artrite reumatóide

aspirina

assalto

assedio

aveiro

avô metralha

banco

batalha

bebés

bijutarias

bipolar

blog

bolinhos

bolo

bookcrossing

bruxo

cabelo

camioneta

campanha

cardiologista

carro

carta

cartão alimentação.

cartão decredito

cartões de credito

casa

cavalete

centro saude

chanel

cheque

cidade

cidade do porto

cigana

cintigrafia

clube da amizade

consulta

deco

destino

divorcios

edp

elaine st. james

electricidade

endoscopia

engano

escapadinhas

exames medicos

ferias

férias

filha

filho

gato

gatos

governo

hospital

idosos

impostos

inspira-me

irs

livros

medicação

medico

medo

milka

mudança

multa

natal

ovelhas

pai

pais

passeio

porto

poupar

republica dominicana

saúde

sinal

sintra

tiróide

trabalho

tunísia

velhotes

vida

vizinhos

todas as tags

favoritos

Vamos, então, por partes

Leilão de eletricidade

Lilica - Cadela solidária

Como fazer novas amizades...

contador de visitas
blogs SAPO
subscrever feeds