Quarta-feira, 16 de Outubro de 2013

Adoro os meus pais, mas há coisas neles que me irritam profundamente. Depois de uma visita deles sinto-me irritada, enervada, desiludida e ao mesmo tempo de consciência pesada.

Trabalho com idosos e muitas vezes tenho de me controlar para não lhes dar respostas "tortas", por isso se calhar tinha o dever de me controlar mais quando lhes disse o que sentia.

A conversa começou devido a uma situação de divorcio na família. Compreendo que pessoas com cerca de 80 anos pensem de forma diferente à minha e que vejam o divórcio com outros olhos, mas considerarem o pior mal do mundo é um pouco demais.

Desde que me divorciei que sinto que sempre que sabem que alguém se divorciou, sem ser da família sentem um certo alivio e até uma certa alegria. Creio que pensam "ah, não é só na nossa família que há divórcios".

Desviei-me um pouco da conversa de hoje para terem a noção do que sentem por passarem por uma situação destas novamente.

Dizia o meu pai " Ela gosta dele e ele não lhe devia fazer o que fez".

-Pois pai, mas a vida tem alguns imprevistos e ninguém é obrigado a viver com quem não quer.

-O que vai ser daquelas crianças?

-Vai ser como todas as crianças, vão sobreviver e serão felizes desde que os pais não se armem em parvos e andem com guerras.

-Ontem ele veio visitar-nos e disse-nos que não podia ficar lá em casa porque o ambiente estava muito mau e que teria de arranjar um sitio para ficar.

Devo dizer que a pessoa em questão não está em Portugal e veio apenas passar uns dias para estar com os filhos.

-E sabes onde ficou?

-Não, mas se me tivesse pedido para ficar lá em casa eu dizia que não.

Eu nem queria acreditar no que estava a ouvir. Ele ia dizer que não ao neto? Os meus pais que são pessoas católicas e bastante justas? Não me contive e com voz indignada pergunto-lhe "mas porque raio não o deixavas ficar lá em casa?"

-O que é que as pessoas iam dizer se eu deixasse um neto dormir lá quando ele deixou a mulher e os filhos?

Eu só podia estar a ouvir mal. Os meus pais iam dizer que não apenas porque as pessoas podiam falar? Não deu para ficar calada e soltei toda as minhas magoas " ah, apenas se ajuda em função do que as pessoas vão falar? Não importa se a pessoa precisa ou se a pessoa é feliz? Então e os nossos sentimentos? É assim que se sentiram quando me divorciei? Envergonhados?"

Eles diziam que não e que eram situações diferentes.

O meu coração estava prestes a rebentar quando lhe digo " Pois, foi precisamente por ter medo da vergonha que vocês iam sentir é que eu fiquei naquele casamento anos a fio. Para não vos envergonhar. Mas sabem que mais? Aprendi que era pela cabeça que tinha de pensar, que o que as pessoas iam dizer não me interessava e que apenas ia lutar para ser feliz ainda que fizesse algumas pessoas infelizes. Fazem ideia de quantas vezes me deitei na minha cama a pensar como o fazer se vos fazer sofrer?

-Mas nós nunca te dissemos para não te divorciares...

-Pois não, mas quando ouvimos esta frase " Coitada da D. Adélia, a filha vai divorciar-se e ela nem sai de casa com vergonha, está tão doente" pensamos duas vezes antes de colocarmos os nossos pais na mesma situação.

Esta foi uma frase que ouvi da boca do meu pai há uns anos quando a filha da vizinha decidiu deixar o marido, uma vez que  ele tinha várias amantes. E ainda achava normal que a tal vizinha tivesse pedido à filha para nunca lhe apresentar mais homem nenhum enquanto fosse viva.

Agora estou aqui a pensar se as minhas palavras, ainda que verdadeiras não foram demasiado duras.

 

 

 



publicado por momentosdisparatados às 16:35 | link do post | comentar | favorito

16 comentários:
De luadoceu a 16 de Outubro de 2013 às 18:05
Custa
Se fosse a minha filha ser impedida de entra em casa pela mesma situação e permita deus q seja feliz no amor, n me calava
Da se demasiada importância aos outros e falatório,qdo o bem maior. Precioso deve ser a família,pq os outros vão e vêem,nos,por laços d sangue nunca vamos e mal o bem ficamos
Enfim,mas tb n m calava
Espero n ter dito nada d errado
Beijinhos


De momentosdisparatados a 29 de Outubro de 2013 às 21:03
Não Lua, não disseste nada errado, errada estão as pessoas que apenas ligam ao que os outros vão falar.
Sei que não é só nas aldeias, mas lá é muito pior.
Beijinho


De Maria Araújo a 16 de Outubro de 2013 às 22:18
Olá.
As suas palavras não foram duras. Por mais que nos custe, por vezes, temos de dizer o que nos vai na alma, desde que sejam ditas com respeito.
Não faz mal nenhum "ralhar" aos mais velhos, mesmo que sejam os nossos pais.
Ralhei tantas vezes com o meu falecido pai (tantas vezes se sentiu no direito de dizer o que queria aos filhos, aliás, ele nem sequer se dava ao trabalho de pensar que os filhos eram adultos e pais de filhos, também. Mas ele era boa pessoa, tudo lhe passava).
Quanto às pessoas que criticam os outros de divorciarem-se, infelizmente, ninguém está livre de lhe acontecer.
Gostei de a ler.



De momentosdisparatados a 29 de Outubro de 2013 às 21:07
Eu trabalho com idosos e por vezes tenho de ser dura, mas por vezes e em relação aos meus pais fico com a consciência pesada. Não que com os outros velhotes por vezes não fique.
Tenho imenso respeito pelos meus pais e não posso dizer mal deles porque são uns pais maravilhosos, têm é essa parte terrível de ligarem ao que dizem.
Não consigo "engolir" sem reclamar.
Boa semana


De Butterfly a 20 de Outubro de 2013 às 12:06
Beeem... por um lado temos que tentar entender que são gerações diferentes, têm uma forma completamente diferente de pensar...mas sim, cncordo a 200% contigo. Sem dúvida, o que interessa é estarms melhor... Olha há uns tempos chateei-me com o meu namorado, estivemos separados durante algum tempo...e minha mae também me disse "ah, eu vi logo"; "mas viste logo o quê?!"; "estão chateados e bla bla bla"; e eu "mas oh mãe?! O que interessa é EU e ELE estarmos felizes, seja juntos ou separados, seja sozinha ou não!!!!" Não quero saber o que vão falar, o importante é estarmos felizes! (e a minha mãe que até tem uma mentalidade "aberta"...). Isto para dizer, que nunca nos devemos esquecer do que nos faz feliz...e para dizer que devemos seguir a felicidade...


De momentosdisparatados a 29 de Outubro de 2013 às 21:10
Eu tento entender, mas é difícil aceitar.
Alguns anos da minha vida foram condicionados por pensarem desta forma. Felizmente que depois abri os olhos.
Boa semana


De samokal a 20 de Outubro de 2013 às 20:07
ha uma coisa que é certa , pode custar mais ou menos mas os pais acabam sempre por perdoar tudo , mesmo que por vezes nao pareça .

e infelizmente cada vez mais chegamos ao ponto de dizer que so existem dois tipos de adultos , os que ja se separaram e os que ainda se vao separar !


De momentosdisparatados a 29 de Outubro de 2013 às 21:13
Perdoam e acabam por aceitar, mas aquela "vergonha" fica sempre lá.
Sim, cada vez mais as pessoas se divorciam, mas se as pessoas não se dão é o melhor. claro que não devemos desistir logo, mas quando se tenta e a coisa não melhora...
Boa semana


De oceanosemfundo a 21 de Outubro de 2013 às 23:48
Ainda há muito esse preconceito na nossa sociedade. Mas os teus pais são de outra geração, a maioria pensa assim. E é mt complicado fazê-los mudar de opinião. Uma coisa é certa os pais querem sempre o melhor para nós. Beijinho e boa semana.


De momentosdisparatados a 29 de Outubro de 2013 às 21:15
Querem o melhor, mas nem sempre o melhor deles é o melhor para os filhos.
São de outra geração e não vão mudar. Há alturas em que não ligo, mas por vezes não dá para ficar calada.
Beijinho


De Existe um Olhar a 22 de Outubro de 2013 às 00:50
Por muito que nos custe temos que chamar à razão e argumentar com respeito sobre os motivos de um divórcio.
Penso que não foste dura, pior seria se ouvisses e calasses, mesmo sendo idosos, certamente não voltarão a tocar no assunto da mesma forma.

Beijos


De momentosdisparatados a 29 de Outubro de 2013 às 21:17
Não voltam a falar do assunto da mesma forma? Era bom, mas ainda esta semana o tema foi dar ao mesmo. Nada a fazer...a vergonha não passa.
Beijinho


De M a 29 de Outubro de 2013 às 10:38
as pessoas vivem pelos outros. é triste mas é uma realidade. Mas são teus pais e há que ter paciência.


De momentosdisparatados a 29 de Outubro de 2013 às 21:18
Infelizmente assim é e assim será porque a geração mais velha vê o divorcio como algo vergonhoso.
Boa semana


De M a 29 de Outubro de 2013 às 10:41
mas já tens uma filha, não tens? Percebi mal? Sei que quando não se tem nenhum filho se entra numa angústia tal que vira obcessão e não é bom em sentido algum. Acalma-te que tudo se resolverá a seu tempo.


De momentosdisparatados a 29 de Outubro de 2013 às 21:20
Tenho sim, já grandona, mas gostava de ter outro. Foi uma fase má aquela quando escrevi o post, não que ande numa muito melhor, mas por outros motivos.
Boa semana


Comentar post

mais sobre mim
Abril 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


posts recentes

México - Férias

Depois de quase 2 anos aq...

Férias

Onde estavas com a cabeça...

IRS

Top Páginas - Ontem (11/0...

IRS e os erros

Os nossos governantes têm...

IRS

Vontade de esganar a ciga...

arquivos

Abril 2016

Março 2016

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

tags

2011

2013

a19

abandono

aftas

água

ait

amor

aniversario

aniversário de casamento

aniversario do estaminé

aniversario mãe

anivesário

anivesario

anulação do cartão

arrábida

arrabida

arrendar

artrite reumatóide

aspirina

assalto

assedio

aveiro

avô metralha

banco

batalha

bebés

bijutarias

bipolar

blog

bolinhos

bolo

bookcrossing

bruxo

cabelo

camioneta

campanha

cardiologista

carro

carta

cartão alimentação.

cartão decredito

cartões de credito

casa

cavalete

centro saude

chanel

cheque

cidade

cidade do porto

cigana

cintigrafia

clube da amizade

consulta

deco

destino

divorcios

edp

elaine st. james

electricidade

endoscopia

engano

escapadinhas

exames medicos

ferias

férias

filha

filho

gato

gatos

governo

hospital

idosos

impostos

inspira-me

irs

livros

medicação

medico

medo

milka

mudança

multa

natal

ovelhas

pai

pais

passeio

porto

poupar

republica dominicana

saúde

sinal

sintra

tiróide

trabalho

tunísia

velhotes

vida

vizinhos

todas as tags

favoritos

Vamos, então, por partes

Leilão de eletricidade

Lilica - Cadela solidária

Como fazer novas amizades...

contador de visitas
blogs SAPO
subscrever feeds