Segunda-feira, 21 de Novembro de 2011

Por vezes só damos conta das injustiças quando as vivemos, ou melhor só damos uma maior importância quando as vivemos.

Hoje falo sobre emprego, desemprego, estabilidade, instabilidade e falta de respeita para com o trabalhador.

A minha filha quando acabou o 12º anos comunicou-nos que não pretendia estudar mais, pelo menos por enquanto. Segundo ela, sentia a necessidade de ganhar dinheiro para comprar algumas coisas, que embora por vezes não necessitasse eram coisas que gostaria de ter.

Começou então a saga de procurar trabalho.

De inicio e porque tinha tirado o curso profissional de Técnico de Contabilidade começou por tentar a sorte em escritórios, mas quando viu os meses a passarem passou a inscrever-se em tudo o que aparecia.

Por vezes era chamada para entrevistas, mas não era seleccionada por falta de experiência.

Muitas vezes ela dizia " Se não me dão trabalho, como é que alguma vez poderei ter experiência?"

Passou quase um ano de procura quando a chamaram a primeira vez através de uma Empresa de trabalho ttemporário.

Apesar de saber que o tempo de permanência na firma era condicionado pelas encomendas que iriam surgir a esperança era muita. Infelizmente 3 semanas depois a empresa de trabalho ttemporário comunica-lhe que no dia seguinte já não iria pois algumas encomendas tinham sido canceladas.

Com ela foram mais 10 pessoas e depois disso mais algumas vieram para casa.

Foi um choque, já que ela estava a gostar do trabalho e do ambiente.

Informaram-na que iriam chamar o grupo, logo que surgissem mais encomendas, mas como era uma incerteza continuou a procurar. 

Tinha passado cerca de 1 mês quando se foi inscrever noutra empresa, desta vez directamente a uma fabrica que nada tinha a ver com Empresas de trabalho ttemporário. Dois dias depois foi chamada para trabalhar e uma semana depois comunicaram-lhe que no dia seguinte já não iria pois estava a substituir uma pessoa que tinha estado de baixa medica.

Desta vez o choque foi maior, pois quando a chamaram não lhe disseram que apenas iria substituir alguém, se assim fosse ela estaria preparada psicologicamente para poder durar pouco.

Hoje em dia as pessoas são descartadas facilmente.

Apesar de ser frustrante o caso dela ainda não é dos mais graves já que não não precisa do dinheiro para sobreviver. O mesmo não poderá dizer as pessoas que têm filhos a cargo ou prestações para cumprir.

Nunca foi possível prever o futuro, mas actualmente o futuro é cada vez mais incerto.

 

 


tags:

publicado por momentosdisparatados às 10:33 | link do post | comentar | favorito

19 comentários:
De luadoceu a 21 de Novembro de 2011 às 13:42
Ola Maria
Eu tb tenho medo de mim, tenho medo por minha filha

Qt a deixar de estudar apos o 12, se nao quer continuar mais ou pelo menos parar por ora e conmtinuar depois ou nao,mas ficar se pello menos pelo 12 ano e querer trabalhar,eu aceito a decisao de minha filha,mas que fique com 12..........

Ter estudos hoje em dia como o mercado de trabalho, acho que nao compensa,digo estudos,apos 12, pois nao ha vagas para os cursos tirados,pois nao ha empresas e organismos suficientes para abarcar tantos estudantes....

Mas desde que se tenha 12 ja nao e nada mau,que e o que exigem hoje em dia e acho bem

E pessimo...darem como exigencias para emprego: ser bonito, ter experiencia e tenra idade. Compreendo,mas nao aceito

O facto de ser bonito, mostrar a foto para verem a pessoa, nao mostar minimamente se é bom funcionario no acto ou nao.Ha pessoas bonitas e ocas por dentro no atendimento ao cliente, dar boa imagem a empresa era ter dois num so:beldade e inteligencia, e raro.Uma pessoa menos bonita,da as vezes e quase sempre muito melhor atendimento que uma pessoa bonita
Ter experiencia ou nao,concordo com tua filha,se nao nos dao trabalho,como poderemos mostrar o que valemos? Assim nunca damos o nosso valor de ficarmos de fora
Tenra idade...digo pessoas jovens na empresa, e algo que engloba inovaçao,mas e as de 40 e 50 ja deram tudo o que tinham a dar?Nao,teem muto a dar

Olha amiga, detesto a palavra: isto esta mau....detesto

Nao esta mau,esta pessimo, mas nao e assim que se ajuda uma pessoa que se diz que ja nao esta bem, e ajuda e incentiva la sempre a continuar em frente

Somos descartaveis e impresncindiveis e as empresas sao sempre mutaveis nas pessoas, nunca permanecem na empresa, compreendo,cria vicios,mas nao aceito....Somos humanos, devemos ter direitos de permanecer na emrpesa,ja que a conhecemos melhor que quem entra de novo

Desculpa se me aloguei...mas prontos

Beijinhos e felicidades a filha


De momentosdisparatados a 25 de Novembro de 2011 às 15:49
Oh Lua a coisa não está nada facil.
Temos de viver um dia de cada vez.
É difícil para os jovens assim como é difícil para as pessoas mais velhas. Beijinho


De Someone a 21 de Novembro de 2011 às 17:46
É frustrante verificar como somos fácilmente um objecto descartável no mercado de trabalho. Os tempos que se avizinham também não trazem melhoras, bem pelo contrário. Um jovem ficar pelo 12º ano, hoje, é quase o mesmo que nada. Mesmo o mercado sendo difícil, há várias opções: a via académica mas deverão ver se o curso que pretendem tem viabilidade de mercado ou serão mais um licenciado no desemprego ou, a via profissional e, também esta, deverá ser bem analisada. Tirar cursos só por tirar é apenas uma pura perda de tempo. Depois, vem a fase de integração no mercado de trabalho e, com os tempos actuais, com cada vez menos empresas, há que apostar em outras formas. E, aqui, refiro-me por exemplo, ao empreendedorismo, ao trabalho por conta própria. Aliás, penso que esta forma será a nova vaga possível para os jovens. Uma coisa é certa, seja qual for o caminho que se tome: todo o futuro é incerto. E nós, pais, na sua generalidade, sofremos com a incerteza deles e também, com a nossa própria incerteza. Mas não podemos baixar braços e devemos sempre pensar em como poderemos minorar os problemas tanto mais que, os tempos que se avizinham assemelham-se mais a uma sobrevivência que a uma vida razoável.
Vamos ter esperança e tentar sempre espreitar toda e qualquer oportunidade.
Um abraço


De momentosdisparatados a 25 de Novembro de 2011 às 15:52
Cada vez mais descartaveis!
Neste momento é a decisão dela, quem sabe se ela daqui a uns tempos não decide voltar a estudar?
Ela continua à procura...
Um dia de cada vez é assim que temos de viver.
Um abraço.


De Rosinda a 21 de Novembro de 2011 às 18:15
Situação decerto repetida para muitos jovens. Hoje em dia nada parece certo, nada é seguro, parece que nada vale a pena...
Que a força e a vontade perdurem na tua filha, pois isto da maneira que vai, tende a piorar.
Beijinho
Rosinda


De momentosdisparatados a 25 de Novembro de 2011 às 15:53
Pois infelizmente não é só há minha filha.
Continua a tentar e a esperar.
Beijinho


De Miss Pepper a 21 de Novembro de 2011 às 21:15
Infelizmente já ninguém tem respeito ou consideração por ninguém. Muitas vezes me queixo que ninguém me dá valor e isto é altamente desmotivante e desanimador.
É como se fossemos máquinas, quando somos precisas, trabalhamos, quando não somos, somos atirados para um canto.
Mas a tua filha vai arranjar um emprego como deve de ser, vais ver. Ela é novinha e hão-de surgir oportunidades à altura dela.
Boa sorte para ela e que não desanime.

Beijocas!


De momentosdisparatados a 25 de Novembro de 2011 às 15:54
É desmotivante e tu sabes bem, não é?
Vamos esperando...
Beijinho


De raio-de-luar a 22 de Novembro de 2011 às 18:44
Infelizmente é o prato do dia neste país. Pior é que não é de agora. Quando acabei o curso há seis anos atrás deparei-me com essa dura realidade. E já se falava em crise. As coisas têm vindo a agravar-se e não vejo soluções à vista. A decisão dela de ficar por agora com o 12º foi acertada. Isto porque quanto mais estudos se tem, pior é. Por outro lado para trabalhos mais qualificados exigem estudos, mas tão específicos que escolher uma área é quase como preencher o euromilhões. Pode-se acertar ou não.
E depois há um pormenor muito importante: enquanto as empresas acharem que uma só pessoa pode e deve desempenhar as funções de duas ou três, além de uma só pessoa andar mais do que sobrecarregada, obviamente não há ofertas de trabalho nem o desemprego ha-de diminuir. Gostava de poder ser mais otpimista, mas também eu me vejo numa situação de desempregada e tenho respondido ao que aparece e nada. Tentamos não desanimar. Vamos fazer o quê?!
Desejo boa sorte. Espero que em breve ela encontre uma oportunidade de emprego.


De momentosdisparatados a 25 de Novembro de 2011 às 15:57
Por enquanto ela não quer estudar mais e vai continuando a tentar arranjar algo.
Eu costumo dizer-lhe que há pessoas na mesma situação de desemprego mas com contas para pagar, o que não é o caso dela. Mas ainda assim não a animo. Beijinho e que também tu arranjes trabalho rapidamente


De daisy_daisy a 23 de Novembro de 2011 às 10:43
É muito triste quando nos deparamos com estas situações. Olha para mim ao fim de quatro anos, vim para a rua assim á pressão, sem aviso prévio, sem NADA... é para o que estamos...

Beijocas tristes


De momentosdisparatados a 25 de Novembro de 2011 às 15:59
Cada vez há mais pessoas nessa situação, infelizmente.
Temos deter fé que a coisa melhore, não é? Beijinho


De DyDa/Flordeliz a 23 de Novembro de 2011 às 10:53
Sim o problema dos nossos filhos é preocupante.
E quando acumulado com os nossos próprios problemas e incertezas, a vida fica pesada demais.

Não está fácil gerir esta "onda". Não está nada fácil e as notícias cada dia menos animadoras.

Mas...

Vamos lá remando, nem que seja contra a maré.
Beijinho


De momentosdisparatados a 25 de Novembro de 2011 às 16:01
Está difícil para todos. tens razão já não basta o nossos problemas diários e ainda temos de saber lidar com a incerteza do futuro dos nossos filhos.
Beijinho


De golimix a 23 de Novembro de 2011 às 17:42
Com o meu irmão também foi uma saga, apesar de ele ter uma Licenciatura em Direito! Fez de tudo até pizzas entregou, concorreu para tudo (muitos concursos viciados pelo fator C). Neste momento passados 3 anos de acabado o curso ainda está como estagiário a ganhar o ordenado base...
Se as pessoas são, agora, facilmente descartáveis o que será quando vierem as facilidades de despedimento?


De momentosdisparatados a 25 de Novembro de 2011 às 16:04
Mas pelo menos ainda vai ganhado qualquer coisa, o que não deixa de ser frustrante já que os anos que estudou não está a ter retorno que ele gostaria.
Não podemos desanimar, ainda que não seja fácil Beijinho


De golimix a 25 de Novembro de 2011 às 18:10
Frustrante... palavra que entra cada vez mais nas nossas casas sem ser convidada.
Bj e bom fim de semana




De badmary a 28 de Novembro de 2011 às 19:09
Não concordo quando se diz que o melhor é não estudar muito, pq não vale a pena.
Compreendo que a tua filha (como muitos jovens) não esteja motivada para continuar a estudar e prefira ganhar algum dinheiro, mas eu continuo a acreditar que uma pessoa com formação se safa melhor que outra que não tenha. Claro que é necessário seleccionar áreas e não embarcar em qq coisa só pq diz "superior".
Enfim, é a minha ideia e até ver não tenho conhecimento de engenheiros, mesmo recém-formados, que fiquem no desemprego.
beijinho e boa sorte para a tua filhota


De momentosdisparatados a 13 de Dezembro de 2011 às 11:32
Olá
Não deixas de ter razão, embora muitas vezes os jovens não são empregados em certos sitio por terem estudos a mais.
No caso dela, não a posso obrigar, mas ainda tenho esperança que um dia ela voltará a estudar.
Beijinho


Comentar post

mais sobre mim
Abril 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


posts recentes

México - Férias

Depois de quase 2 anos aq...

Férias

Onde estavas com a cabeça...

IRS

Top Páginas - Ontem (11/0...

IRS e os erros

Os nossos governantes têm...

IRS

Vontade de esganar a ciga...

arquivos

Abril 2016

Março 2016

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

tags

2011

2013

a19

abandono

aftas

água

ait

amor

aniversario

aniversário de casamento

aniversario do estaminé

aniversario mãe

anivesário

anivesario

anulação do cartão

arrábida

arrabida

arrendar

artrite reumatóide

aspirina

assalto

assedio

aveiro

avô metralha

banco

batalha

bebés

bijutarias

bipolar

blog

bolinhos

bolo

bookcrossing

bruxo

cabelo

camioneta

campanha

cardiologista

carro

carta

cartão alimentação.

cartão decredito

cartões de credito

casa

cavalete

centro saude

chanel

cheque

cidade

cidade do porto

cigana

cintigrafia

clube da amizade

consulta

deco

destino

divorcios

edp

elaine st. james

electricidade

endoscopia

engano

escapadinhas

exames medicos

ferias

férias

filha

filho

gato

gatos

governo

hospital

idosos

impostos

inspira-me

irs

livros

medicação

medico

medo

milka

mudança

multa

natal

ovelhas

pai

pais

passeio

porto

poupar

republica dominicana

saúde

sinal

sintra

tiróide

trabalho

tunísia

velhotes

vida

vizinhos

todas as tags

favoritos

Vamos, então, por partes

Leilão de eletricidade

Lilica - Cadela solidária

Como fazer novas amizades...

contador de visitas
blogs SAPO
subscrever feeds