Terça-feira, 29 de Outubro de 2013

O maridão costuma dizer "se não tens problemas para te preocupares arranja-los" e tenho de concordar com ele.

 

Se não vejamos, a semana passada andava com a "telha" porque o desejo de ser mão apoderou-se novamente de mim e agora que isso já não passou tenho algo que me está a deixar à beira de um ataque de nervos. Para alguns estarei a exagerar se disser que acho que me vai dar uma coisinha má quando for fazer a endoscopia.

 

Pois, é meus amigos, a médica acha que devo fazer um dos exames que acho mais terrível e aquele que dizia nunca o fazer.

Como é que eu vou conseguir suportar um tubo a passar na minha goela?

Neste momento a minha preocupação maior não é saber se tenho algum problema grave, mas como vou sobreviver ao faze-lo?

 

Outra situação que me está a deixar stressada é o horário da formação em que me meti.

 

Alguns que aqui passam sabem o quanto gosto da minha profissão e sempre que tenho hipótese de adquirir novos conhecimentos aproveito-os e quando a directora falou que ia haver uma formação sobre cuidados de saúde nos idosos nem hesitei em inscrever-me. Não sabia era o quanto ia ser cansativo e difícil conciliar a vida familiar, o meu descanso e as coisas que tanto gosto, como ler, o blog e internet.

 

Parte das minhas folgas serão passadas na formação, assim como nos dias em que faço noite terei formação das 14 às 18h e depois pego ao trabalho às 22 horas. Os piores não são estes horários, mas nos dias em que entro às 15 horas terei de sair às 16.45h, uma vez que a formação não é no meu local de trabalho, pegar no carro e ir até às 18h, pegar no carro novamente e voltar ao trabalho até às 22 horas. Até Dezembro será assim.

 

E se alguém pensar que enquanto estou na formação não penso no raio da endoscopia, está redondamente enganada.



publicado por momentosdisparatados às 22:34 | link do post | comentar | ver comentários (16) | favorito

Terça-feira, 22 de Outubro de 2013

 

Já aqui dei conta que há anos que espero um filho e embora já não sofra por mês após mês ele não aparece, há dias em que isso me afecta muito. E depois parecer que nessas alturas tudo à minha volta vai dar ao tema BEBÉS.

Se não vejam, esta semana fui às urgências e o medico pergunta-me se uso anticoncepcionais e claro quando digo que não e vendo a minha idade pergunta "mas, quer engravidar?"

Lá lhe contei sobre o aborto espontâneo, sobre as tentativas, sobre a vontade de ter, a vontade de não ter e o deixar andar, tipo se vier vem se não vier não há problema. Claro que não tive coragem de lhe falar no "bruxo", nas suas previsões e que ele é que é o culpado de ainda ter esperança de voltar a engravidar. Certamente que me mandaria internar para me tratar da mioleira!

Acabei por vir para casa a pensar que provavelmente o desejo inconsciente de engravidar não se irá concretizar. Resultado estou irritada e impossível de aturar. Tento a todo custo não pensar em bebés, mas está a tornar-se impossível.

O meu trabalho é cuidar de idosos, mas curiosamente ontem apareceu uma familiar de um velhote e acompanhada de uma criatura pequenina que tinha nascido há pouco tempo. Como se não bastasse, hoje vou ao supermercado e encontro uma amiga acompanhada do filho de apenas 20 dias e agora acabo de encontrar este post http://paisdequatro.blogs.sapo.pt/152302.html com estas caras mais lindas e fofas.

Esquecer? Digam-me como poderei esquecer que provavelmente não irei voltar a ser mãe, quando estou rodeada de bebés?

 

Para quem não conhece a historia do "bruxo aqui fica parte de um post que escrevi sobre o assunto, num antigo blog.

 

"...perdi o bebé. Acabei com uma depressão( que rapidamente me livrei) e lá continuamos a tentar.

Poucos dias, após ter abortado fui visitar um familiar e encontro lá em casa um homem que eu não conhecia.

Estávamos todos a conversar e a uma dada altura ele fala em espiritismo, oculto, etc.

Naquela altura ele deu a entender que adivinhava o futuro(ou pelo menos dizia), então perguntei-lhe:

-Consegue prever se eu ainda irei voltar a ser mãe?

-Irá, mas demorará uns anos!

Pensei:"deve ser parvo, então acabei de abortar, é lógico que ficarei grávida rapidamente!"

O que é certo é que não voltei a engravidar!

Depois do meu marido ver todos os meses, o meu sofrimento(quantos testes eu não fiz) achou que seria melhor desistirmos da ideia, de ser pais( segundo palavras dele já tinha uma, pois considera a minha filha também sua). Acabei por concordar com ele, pois aquilo não era vida, era sofrimento.

E só me lembrava dessa fase, quando as pessoas me diziam:" o teu marido não tem filhos?" " olha que deve ser um desgosto enorme"

Estúpidas! Não sabem o sofrimento que me causam!

Ao fim de 6 anos, voltei a encontrar o tal homem "adivinho".

Não é que me voltou a dizer, que até aos meus 45 anos, irei voltar a ser mãe novamente! 

Será mesmo possível, logo agora que não desejamos(ou será que desejamos?)

Sinceramente não sei se gostei de o voltar a encontrar... terei de esperar para ver, se tem razão, não é?"



publicado por momentosdisparatados às 23:57 | link do post | comentar | ver comentários (24) | favorito

Quarta-feira, 16 de Outubro de 2013

Adoro os meus pais, mas há coisas neles que me irritam profundamente. Depois de uma visita deles sinto-me irritada, enervada, desiludida e ao mesmo tempo de consciência pesada.

Trabalho com idosos e muitas vezes tenho de me controlar para não lhes dar respostas "tortas", por isso se calhar tinha o dever de me controlar mais quando lhes disse o que sentia.

A conversa começou devido a uma situação de divorcio na família. Compreendo que pessoas com cerca de 80 anos pensem de forma diferente à minha e que vejam o divórcio com outros olhos, mas considerarem o pior mal do mundo é um pouco demais.

Desde que me divorciei que sinto que sempre que sabem que alguém se divorciou, sem ser da família sentem um certo alivio e até uma certa alegria. Creio que pensam "ah, não é só na nossa família que há divórcios".

Desviei-me um pouco da conversa de hoje para terem a noção do que sentem por passarem por uma situação destas novamente.

Dizia o meu pai " Ela gosta dele e ele não lhe devia fazer o que fez".

-Pois pai, mas a vida tem alguns imprevistos e ninguém é obrigado a viver com quem não quer.

-O que vai ser daquelas crianças?

-Vai ser como todas as crianças, vão sobreviver e serão felizes desde que os pais não se armem em parvos e andem com guerras.

-Ontem ele veio visitar-nos e disse-nos que não podia ficar lá em casa porque o ambiente estava muito mau e que teria de arranjar um sitio para ficar.

Devo dizer que a pessoa em questão não está em Portugal e veio apenas passar uns dias para estar com os filhos.

-E sabes onde ficou?

-Não, mas se me tivesse pedido para ficar lá em casa eu dizia que não.

Eu nem queria acreditar no que estava a ouvir. Ele ia dizer que não ao neto? Os meus pais que são pessoas católicas e bastante justas? Não me contive e com voz indignada pergunto-lhe "mas porque raio não o deixavas ficar lá em casa?"

-O que é que as pessoas iam dizer se eu deixasse um neto dormir lá quando ele deixou a mulher e os filhos?

Eu só podia estar a ouvir mal. Os meus pais iam dizer que não apenas porque as pessoas podiam falar? Não deu para ficar calada e soltei toda as minhas magoas " ah, apenas se ajuda em função do que as pessoas vão falar? Não importa se a pessoa precisa ou se a pessoa é feliz? Então e os nossos sentimentos? É assim que se sentiram quando me divorciei? Envergonhados?"

Eles diziam que não e que eram situações diferentes.

O meu coração estava prestes a rebentar quando lhe digo " Pois, foi precisamente por ter medo da vergonha que vocês iam sentir é que eu fiquei naquele casamento anos a fio. Para não vos envergonhar. Mas sabem que mais? Aprendi que era pela cabeça que tinha de pensar, que o que as pessoas iam dizer não me interessava e que apenas ia lutar para ser feliz ainda que fizesse algumas pessoas infelizes. Fazem ideia de quantas vezes me deitei na minha cama a pensar como o fazer se vos fazer sofrer?

-Mas nós nunca te dissemos para não te divorciares...

-Pois não, mas quando ouvimos esta frase " Coitada da D. Adélia, a filha vai divorciar-se e ela nem sai de casa com vergonha, está tão doente" pensamos duas vezes antes de colocarmos os nossos pais na mesma situação.

Esta foi uma frase que ouvi da boca do meu pai há uns anos quando a filha da vizinha decidiu deixar o marido, uma vez que  ele tinha várias amantes. E ainda achava normal que a tal vizinha tivesse pedido à filha para nunca lhe apresentar mais homem nenhum enquanto fosse viva.

Agora estou aqui a pensar se as minhas palavras, ainda que verdadeiras não foram demasiado duras.

 

 

 



publicado por momentosdisparatados às 16:35 | link do post | comentar | ver comentários (16) | favorito

Sexta-feira, 11 de Outubro de 2013

Há dias que chegamos ao final do dia e pensamos que não deveríamos sair de casa e depois há outros que nos enchem de sorrisos. Hoje foi um desses dias em que todos com que me cruzei fizeram o dia mais "colorido".

Iniciei o dia com a minha filha em algo menos agradável, inscrever-se numa empresa de trabalho temporário.

Novamente desempregada há que ir à luta.

 Apesar de ser um local que evitasse-mos, a simpatia e a conversa da senhora que a atendeu acabou por fazer a ida agradável. Depois fomos até ao Shopping fazer umas compritas e a funcionaria da TEZENIS além de bastante prestável foi uma simpatia. E isso aconteceu também com a funcionaria que nos atendeu na H&M. Dali fomos até à loja da Zon e apesar de ir pedir esclarecimento da entrada em vigor das novas condições http://www.publico.pt/economia/noticia/zon-optimus-diz-que-alteracoes-contractuais-nao-tem-impacto-real-nos-consumidores-1608841 o rapaz explicou-me tudo direitinho, além de imprimir as novas condições.

No final a minha filha pergunta-me " Oh mãe o que é que se passa que toda a gente hoje é simpática?"

Seria o dia nacional da simpatia.

Pode-se dizer que o dia foi perfeito. As compras que tinha programado foram feitas, a miúda além de se inscrever ainda arranjou trabalho e em todo o tempo que andamos às compras não discutimos.

Sim, isto de ir com a filhota às compras não costuma ser fácil e normalmente parecemos o cão e o gato.

 

 



publicado por momentosdisparatados às 20:59 | link do post | comentar | ver comentários (16) | favorito

Sexta-feira, 4 de Outubro de 2013

Os animais sempre estiveram presentes na minha vida. Em casa dos meus pais tivemos vários cães, a Nani, o Benfica (coisas do pai) e a Pantufa. Infelizmente o pensamento dos meus pais em relação a animais de estimação não é igual à minha. Para eles, ou melhor para o meu pai os cães tem de estar presos (coisa que não gosto) e nunca, mas nunca entrar em casa. Gatos então, nem pensar. O velho detesta gatos.

Os animais sabem destinguir quem gosta deles e quem não gosta e os nossos sempre demontraram que não gostavam do "dono".

Quando tive as condições ideais para ter animais meus em minha casa não hesitei de ficar com um dos gatos que nasceram em casa do meu sogro.

A escolha não foi fácil e não era pela beleza, que isso era comum a todos, mas decidir ficar apenas com um e deixar os outros dois...custou muito.

O nome escolhido foi Snooker, já que aqui a "Je"e o maridão gostamos imenso deste desporto. Acabamos por colocar o diminutivo Snoo. Está connosco há 9 anos.

Uns anos depois de termos o Snoo roubamos adoptamos a Maria. Esta foi uma adopção à força e em nada me arrependo.

A vizinha recolheu uma gatinha preta na rua e levou-a para casa, quer dizer fechou-a no pátio. Até o poderia ter feito, mas que tivesse um local para a gatinha se abrigar da chuva e do frio. O que nós sofríamos de ver a pequenita toda molhadita e a tremer de frio. Infelizmente ela era demasiado pequena para conseguir trepar o muro e fugir dali. Quando o conseguiu, veio até nossa casa. A primeira noite deixamos a "menina" na cozinha e quando acordamos a pequenita estava a dormir juntinho a nós. Já passaram 5 anos que está conosco. Os nosso gatecos ajudam-nos a sermos bem mais felizes. Nem aquelas noites em que o Snoo me deixa doida com os seu saltos em cima da cama, com os seu miados, as suas correrias e as tareias que me dá na cabeça apenas porque durante a noite não quer ir comer sozinho, faz com que goste menos dele.

 

 

 

 

 

 

 

 



publicado por momentosdisparatados às 16:36 | link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito (2)

Terça-feira, 1 de Outubro de 2013

Confesso que Outono e Inverno não é propriamente coisas que goste, mas como não tenho alternativas monetária para o evitar adapto-me da maneira que melhor me sabe. O meu trabalho apenas me deixa 1 fim de semana por mês de folga e tento aproveita-lo ao máximo. Quem por aqui passa sabe que tenho a doença mania das limpezas e isso é feito logo após o pequeno almoço para me deixar descansada o resto do dia. Que para ser perfeito basta conter isto

 

 

 

 

 

Para finalizar um bom filme na companhia do maridão.



publicado por momentosdisparatados às 08:55 | link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito

mais sobre mim
Abril 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


posts recentes

México - Férias

Depois de quase 2 anos aq...

Férias

Onde estavas com a cabeça...

IRS

Top Páginas - Ontem (11/0...

IRS e os erros

Os nossos governantes têm...

IRS

Vontade de esganar a ciga...

arquivos

Abril 2016

Março 2016

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

tags

2011

2013

a19

abandono

aftas

água

ait

amor

aniversario

aniversário de casamento

aniversario do estaminé

aniversario mãe

anivesário

anivesario

anulação do cartão

arrábida

arrabida

arrendar

artrite reumatóide

aspirina

assalto

assedio

aveiro

avô metralha

banco

batalha

bebés

bijutarias

bipolar

blog

bolinhos

bolo

bookcrossing

bruxo

cabelo

camioneta

campanha

cardiologista

carro

carta

cartão alimentação.

cartão decredito

cartões de credito

casa

cavalete

centro saude

chanel

cheque

cidade

cidade do porto

cigana

cintigrafia

clube da amizade

consulta

deco

destino

divorcios

edp

elaine st. james

electricidade

endoscopia

engano

escapadinhas

exames medicos

ferias

férias

filha

filho

gato

gatos

governo

hospital

idosos

impostos

inspira-me

irs

livros

medicação

medico

medo

milka

mudança

multa

natal

ovelhas

pai

pais

passeio

porto

poupar

republica dominicana

saúde

sinal

sintra

tiróide

trabalho

tunísia

velhotes

vida

vizinhos

todas as tags

favoritos

Vamos, então, por partes

Leilão de eletricidade

Lilica - Cadela solidária

Como fazer novas amizades...

contador de visitas
blogs SAPO
subscrever feeds