Quarta-feira, 20 de Março de 2013

Há uns tempos vi parte desta reportagem http://www.youtube.com/watch?v=BVAtcyABJoU e fiquei revoltada, mas como não a tinha visto toda achei melhor vê-la novamente. Não fosse dizer disparates.

 

Pois bem, depois de a ver novamente continuo revoltada e continuo a achar que justiça é coisa que não há. Quantas pessoas conhecemos que trabalharam uma vida e que umas por terem sido roubadas pelos patrões que não faziam os respectivos descontos, outras porque os anos de trabalho não foram suficientes e outras porque, apesar de doentes as juntas medicas acham que como ainda mexem podem muito bem trabalhar e não têm direito à reforma ou quando têm são miseráveis?

 

Conheço vários casos, mas posso falar na minha mãe que não chega a receber 300 Euros de reforma. Certo que não trabalhou uma vida...infelizmente a visão começou a faltar e para quem era empregada de escritório este problema não era compatível com o cargo.

 

Ao ver a reportagem e ouvir o tal "avô Metralha" dizer que recebe 400 euros de rendimento mínimo todos os meses e que é certinha revolta, revolta muito.

 

O homem passou a vida a roubar e a falsificar e agora dão-lhe 400 euros todos os meses certinhos e direitinho sem se chatear e sem ter de levantar o cú da cama?

 

Quantas pessoas todos os dias vão para o trabalho, mesmo sem poderem e chegam ao fim do mês e não recebem?

 

E essas mesmas pessoas ainda tentam receber através do tribunal e o que conseguem?

 

Ficar com o prejuízo e ainda terem de pagar a advogados, que alegam que ganharam o caso, apesar do cliente não ver um cêntimo já que o patrão não tem nada em nome dele.

 

Mas ganharam o caso...isso sim, é que deveria encher de orgulho o cliente!

 

A história deste "falsificador reformado" leva-me a pensar que afinal o crime compensa!



publicado por momentosdisparatados às 08:59 | link do post | comentar | ver comentários (13) | favorito

Domingo, 17 de Março de 2013

 

 

 A Fátima http://donadecasa.blogs.sapo.pt e http://deverasoriginal.blogspot.pt/ lançaram-me um desafio...ora aqui vai:

 

 

AS REGRAS SÃO:

 

1. Postar 11 coisas sobre mim;
2. Responder às 11 perguntas que nos foram atribuídas;
3. Nomear 11 blogs com 200 ou menos seguidores, colocar o link do blog e avisar sobre o prémio;
4. Fazer novas 11 perguntas aos blogs nomeadas;

 

 

Isto de falar de nós não é nada facil, ainda mais 11 coisas aqui sobre a menina.
 
1-Sou ansiosa, muito ansiosa. Por mais que tente não consigo pensar apenas no "hoje".
2-Detesto intrigas, daquelas "diz que disse".
3-Tenho medo da morte, melhor...morro de medo da morte.
4-Considero que o vinagre o tem pior cheiro do mundo .
5-Adoro a cor verde.
6-Tenho a mania de mudar a cor de cabelo frequêntemente.
7-O maior acto de coragem que tive foi pedir o divorcio(e acreditem que não foi facil).
8-Apesar de 11 anos de casamento infeliz ( com muita violência psicologica) não fiquei amargurada, nem agarrada ao passado.
9-Acho impossivel uma pessoa ser totalmente feliz, quando há tanta desgraça pelo mundo fora. Temos momentos felizes...uns mais do que outros.
10-Adoro o calor.
11-Uma das minhas grandes paixões são os gatos, especialmente o meu Snoo e a minha Maria.

  

As perguntas da Fátima:
  1. Qual é o livro da tua vida - o que mais gostaste, ou te marcou, até hoje. Foram vários, mas o livro "Queimada viva", talvés por o ter lido numa altura conturbada da minha vida me tenha marcado tanto.
  2. Qual o filme da tua vida (idem)? Sem duvida e depois de ter visto tanta vez "A lista de Schindler", continua a ser o meu filme de eleição. 
  3. Existe algum escritor de quem tenhas lido, ou tenciones ler, a obra completa? Quem? Ainda não li tudo, mas faço inteções de ler toda a obra do escritor Daniel Silva.
  4. Tens algum realizador favorito? E ator/atriz? Não, não tenho nenhum favorito.
  5. Vês televisão? Quanto tempo por semana? O quê? Com os meu horários e com este vicio da Internet cada vez vejo menos TV. Ah, e deitando-me no sofá é soninho na certa, por esses motivos não imagino o tempo. 
  6. Qual a coisa que mais gostas de fazer sozinho/a? Pode parecer estranho, mas adoro fazer limpeza e ao mesmo tempo mudar o mobiliário...sozinha.
  7. E em família? Férias, férias...
  8. Sugere um programa agradável e económico. A primeira coisa que me ocorreu foi passear, mas ao preço que está a gasolina...não será o mais económico. Creio que mais baratito será ver um filme.
  9. Achas que o dinheiro compra a felicidade? Não compra, mas ajuda muito. Sem dinheiro é impossível ser feliz. Falo de uma pessoa que tenha uma vida considerada normal(casa, carro, etc).
  10. De tudo o que a crise te fez abdicar, de que tens mais saudades? A frequência com que íamos jantar fora e pegar no carro e sair sem destino.
  11. Qual o teu mimo favorito? Sem falar dos mimos do maridão e da filhota, os melhores são os "rorons" e as lambidelas dos meus gatos.

 

As perguntas da "Deveras Original"
 
  1. Porque é que escolhes-te esse nome para o teu blogue? Boa pergunta...eu tinha um outro blog sobre o meu trabalho e embora nunca tenha mencionado nomes ou situações menos "adequadas" achei que devia torna-lo privado e fazer um outro e assim num dos meus momentos disparatados surgiu o nome.
  2. Qual é o teu prato de comida favorito? Ui, há uns anitos eu detestava comer agora que já adoro é difícil dizer um, mas adoro frango assado, bitoque, feijoada, cozido à portuguesa, Leitão, etc. Não consigo escolher apenas um e como vez são só coisinhas saudáveis!
  3. Ocupas os teus tempos livres a fazer o quê? Quando estou sozinha adoro fazer limpeza(deves achar que sou louca), fazer mudanças dos moveis, estar na Internet e ler, quando estou com o maridão e a filhota gosto de passear, ver filmes e conversar. 
  4. És pontual ou normalmente chegas atrasado/a aos teus compromissos? Pontualíssima e detesto atrasos, aliás tenho muita dificuldade em compreender aquelas pessoas que chegam sempre atrasadas.
  5. És viciado/a em quê? Embora não me considere uma grande dependente, posso consideram-me viciada em tabaco.
  6. Tens alguma mania ou superstição? Se sim, qual? Não me recordo de nenhuma.
  7. Normalmente o que é que comes ao pequeno-almoço? Uma torrada e um copo de leite.
  8. Costumas deitar-te a que horas? E quantas horas dormes por dia? Com os meus horários é difícil dizer, mas se estou no horário das 8, mal me deito no sofá "morro" e vou para a cama quando o maridão me chama, quando trabalho durante a noite, chego a casa e por volta das 9 horas deito-me e durmo até cerca das 12.30h. 
  9. Estás apaixonado/a? Continuo apaixonada pelo maridão à 15 anos.
  10. Qual foi a melhor piada/anedota que ouviste até hoje? Não sou grande aperciadora de anedotas e normalmente esqueço-as rapidamente, mas acabo de me lembrar de uma piada que ouvi hoje uns velhotes. Dizia um " A gasolina desceu muito esta semana." Ao ouvir aquilo pensei " então eu não ouvi nada?" um outro velhote pergunta "desceu? Quanto?" A resposta foi engraçada e ficamos todos a rir " desceu, no deposito do meu carro".
  11. Já alguma vez recebes-te ou deste algum piropo? Qual? Sou envergonhada para dar piropos e quantos aos que ouvi alguns terríveis, daqueles que fazem corar  outros engraçados... "Não percebo grande coisa de electricidade mas sei que tu me das choques!"

Agora as perguntas aqui da "Je":

 

1- Qual o destino ideal para umas férias?

2- Uma lembrança da infância?

3- Maior susto que apanhou na vida?

4 - Qual o teu pior defeito?

5 - A tua maior qualidade?

6 - Um sonho?

7- Um pesadelo?

8 - O que farias se soubesses que a tua melhor amiga era enganada pelo marido/namorado?

9 - Se encontrasses uma carteira cheia de dinheiro e não soubesses a quem pertencia o que farias?

10 - Algo que te tenhas arrependido?

11 - Algo que queiras fazer, mas não tens coragem?

Vou fazer batota...já muita gente respondeu aos questionários e por isso deixo em aberto para quem quiser... 

 

 

 



publicado por momentosdisparatados às 18:52 | link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito

Sexta-feira, 15 de Março de 2013

Quando a minha filha era pequenita, a minha mãe dizia muita vez "filhos criados trabalhos redobrados", na altura achava aquilo paleio de velhos.

 

Como eu estava enganada...redondamente enganada.

 

Costuma-se dizer e isso também sai da minha boca muitas vezes que ser-se pais não é fácil e não trás instruções, mas pensando bem até somos avisados pelas pessoas mais velhas das "dores de cabeça" que vêm com a chegada de um filho.

 

Não, não estou arrependida de ser mãe, mas nas últimas semanas tenho andado ansiosa, nervosa, preocupada e em parte deve-se à minha filha. Ou melhor à insegurança do futuro da minha filha.

 

Como se pode pensar em futuro quando se trabalha como temporária?

 

Embora os contratados ou efectivos também não estejam seguros, mas sempre têm uma esperançazita maior.

 

Desde que acabou o 12º ano e decidiu não continuar os estudos, muitos currículos foram enviados, muitas inscrições foram feitas nas Empresas de trabalho temporário, no Centro de Emprego e várias candidaturas enviadas.

 

Foram meses de desânimo em que nunca era chamada, até que através de uma pessoa conhecida e depois de fazer testes consegue trabalho. A alegria foi enorme e apesar de não ter experiência nenhuma adaptou-se bem ao trabalho, ao ambiente fabril e aos turnos. Passadas 3 semanas, a empresa de trabalho temporário diz-lhe que no dia seguinte seria o ultimo dia.

 

As encomendas tinham diminuído e como seria de esperar os temporários vieram embora. Passada uma semanita voltam a chama-la e passado uns dias volta novamente para casa. Esta situação verificou-me mais algumas vezes até que a empresa foi "obrigada a dispensar trabalhadores também com contracto. Como boa portuguesa, tento ver o lado bom da coisa "pelo menos ainda trabalhou cerca de 6 meses no ano anterior".

 

Depois dessa empresa já trabalhou em várias...sempre temporariamente. Umas vezes dias, outras semanas...

 

Senão conhecesse a realidade do país, se não conhecesse vários casos e se não a chamassem várias vezes para a mesma empresa diria que o problema era dela, mas é uma realidade cada vez mais "normal" de todas as idades e em todos os empregos.

 

E perguntam vocês o que tem isto a ver com ser-se pais?

 

Lembram-se quando os filhos andavam na escola e faziam testes ou faziam alguma actividade nova em que o vosso coração ficava apertadinho de ansiedade?

 

Pois é exactamente assim que me sinto diariamente.

 

Cada dia que ela chega do trabalho olho para o seu rosto à procura de indícios se continua empregada, tal e qual quando chegava da escola e olhava à procura de sinais que as coisas tinham corrido bem...



publicado por momentosdisparatados às 10:02 | link do post | comentar | ver comentários (14) | favorito

Sábado, 9 de Março de 2013

 

Depois do dia terrível que tenho tinha tido estava decidida a ficar em casa.

 

Não via a hora de me esticar no sofá espezinhada rodeada dos gatos, quando recebo um telefonema de uma amiga para ir ter com ela. Confesso que essa ideia não me agradava nada, mas vendo a necessidade dela de desabafar não tive coragem de lhe virar as costas.

 

Como não estamos juntas com frequência (o telefone serve para algumas confidências), achei que deveria levar alguma coisa às pestinhas aos putos. O problema é que não tinha nada para eles, quer dizer achava eu, mas o maridão disse-me "porque não levas uma embalagem de Milka?"

 

Acredito que aquelas palavras lhe tenham saído sem pensar e que se tenha arrependido logo de seguida, sim porque para um guloso do tamanho do mundo oferecer algo que adora não deve de ser muito fácil.

 

Antes que me mandasse ao hipermercado, agarrei no pacote de Choco Moooo e nuns folhetos de desconto e saí.

 

Achei graça aos putos quando viram o pacote e disseram "olha a vaca lilás". Ficaram sossegadinhos a devorarem as bolachas enquanto nós conversávamos.

 

O assunto era sério...O banco ia ficar-lhe com a casa.

 

Eu sabia que financeiramente as coisas não estavam bem, mas ainda assim foi um choque saber que ia ficar sem casa. Falou sobre as dividas que ela e o marido foram acumulando ao longo dos anos que foram casados, o divórcio e a perda de emprego dela.

 

Na altura do divórcio ela decidiu ficar na casa, já que tinha sido construída no terreno que os pais lhe deram, praticamente pegada à deles e construída com a muita ajuda deles.

 

Agora o drama maior não era ficar sem casa, mas contar aos pais que aquela casa que eles tinham ajudado a construir e aquele terreno que lhe tinham dado iria ser do banco. Estava desesperada, pois para os pais o divórcio já tinha sido um desgosto e agora achava que a mãe não ia resistir a ver outras pessoas a viverem na casa que tinha sido da filha.

 

Compreendo perfeitamente a angustia dela e até me arrepio de imaginar estar no lugar dela.

 

Ela tem a noção de que tanto ela como o marido deram passos maior do que as pernas e que mesmo que não tivesse perdido o emprego a situação seria igualmente catastrófica.

 

Contou-me que levou muito tempo até aceitar que estava a ficar pobre, tanto mais que deixou de pagar a casa e continuou a pagar o colégio e as actividades dos putos (futebol, musica, piscina, etc), continuou a ir jantar fora com os amigos, continuou a ir à cabeleireira todas as semanas (e diga-se, bem cara), continuou a ter "senhora das limpezas" e continuou a "sustentar" um carro que bebe mais que um bêbado (palavras dela).

 

Confessou-me que durante anos viveu de aparências e para as aparências.

 

Nada que cá em casa muitas algumas vezes não o comentássemos.

 

No final, agradeceu por eu a ouvir, segundo ela estava mais leve e capaz de enfrentar os pais. Também não me parece que tenha outra alternativa.

 

Que lhe poderia dizer?

 

Que tinham sido irresponsáveis?

 

Que tinham vivido acima das possibilidades?

 

Que tinham tido as prioridades trocadas?

 

Que os jantares, as actividades dos putos, o carrão (XPTO), que o cabeleireiro, a empregada de limpeza, as férias pagas a crédito e as roupas de marca eram coisas segundarias?

 

Não valia a pena...ela sabia e apenas queria desabafar e eu como amiga estava ali para a ouvir.

 

Tanto que necessito de tranquilidade sinto-me...triste, angustiada e ansiosa (para saber o desfecho destas vidas).

 

 

 

 



publicado por momentosdisparatados às 10:18 | link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito

Segunda-feira, 4 de Março de 2013

Tudo tem uma razão de ser e se na sexta feira a transportadora falhou a entrega, certamente foi por um motivo...especial.

Se assim não fosse, hoje em dia de aniversario não teria recebido este presente

 

 

Certamente que este aniversario vai ficar-me na memoria, pois o primeiro presente do dia foi a caixa da Milka.

 Não é para todas!

E diga-se que a caixa vem bem recheada...estou doida para lhe deitar o dente!

Ah, o primeiro a usufruir foi o Snooo!

 

 

 

         



publicado por momentosdisparatados às 16:06 | link do post | comentar | ver comentários (16) | favorito

Sábado, 2 de Março de 2013

O dia de trabalho não ajudou, o facto da minha filha ficar sem emprego(novamente) também não, mas a poucos dias de fazer 45 anos sinto-me sem esperança no futuro...

Desculpem, lá...é  só um desabafo a amanhã será um novo dia.



publicado por momentosdisparatados às 21:46 | link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito

mais sobre mim
Abril 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


posts recentes

México - Férias

Depois de quase 2 anos aq...

Férias

Onde estavas com a cabeça...

IRS

Top Páginas - Ontem (11/0...

IRS e os erros

Os nossos governantes têm...

IRS

Vontade de esganar a ciga...

arquivos

Abril 2016

Março 2016

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

tags

2011

2013

a19

abandono

aftas

água

ait

amor

aniversario

aniversário de casamento

aniversario do estaminé

aniversario mãe

anivesário

anivesario

anulação do cartão

arrábida

arrabida

arrendar

artrite reumatóide

aspirina

assalto

assedio

aveiro

avô metralha

banco

batalha

bebés

bijutarias

bipolar

blog

bolinhos

bolo

bookcrossing

bruxo

cabelo

camioneta

campanha

cardiologista

carro

carta

cartão alimentação.

cartão decredito

cartões de credito

casa

cavalete

centro saude

chanel

cheque

cidade

cidade do porto

cigana

cintigrafia

clube da amizade

consulta

deco

destino

divorcios

edp

elaine st. james

electricidade

endoscopia

engano

escapadinhas

exames medicos

ferias

férias

filha

filho

gato

gatos

governo

hospital

idosos

impostos

inspira-me

irs

livros

medicação

medico

medo

milka

mudança

multa

natal

ovelhas

pai

pais

passeio

porto

poupar

republica dominicana

saúde

sinal

sintra

tiróide

trabalho

tunísia

velhotes

vida

vizinhos

todas as tags

favoritos

Vamos, então, por partes

Leilão de eletricidade

Lilica - Cadela solidária

Como fazer novas amizades...

contador de visitas
blogs SAPO
subscrever feeds